Concentração e Foco

“Estou muito ansioso e disperso, não consigo me concentrar, chego ao final do dia com a impressão que não fiz nada e, mesmo assim, me sinto exausto”. Você também se sente assim? Saiba que você não está sozinho. A falta de concentração é uma dificuldade comum na sociedade atual e tem sido uma queixa recorrente no meu consultório. 

Para falar sobre esse assunto, precisamos primeiramente compreender alguns fatos. A dispersão pode ser entendida sob a ótica da hereditariedade. No início das civilizações, partindo dos primatas, desenvolvemos sensores ativos para que pudéssemos nos proteger melhor. Vivíamos em aldeias que podiam ser atacadas por animais ou tribos inimigas a qualquer momento. Desta forma, por gerações, nosso instinto de sobrevivência mantém nossa audição e visão atentas a qualquer ameaça para que nosso cérebro possa reagir e atuar nos impulsionando à fuga ou ao ataque. Por esta razão, quando ouvimos algo ou vemos alguém se aproximando, nossos sentidos trabalham para nos proteger, o que nos faz perder o foco.

Atualmente, temos muitos fatores capazes de atrair a nossa atenção e nos dispersar. Essa também é a razão pela qual chegamos exaustos ao fim do dia. São alarmes, sons, luzes, mensagens, pessoas nos chamando para interagir em diferentes canais.

Podemos ajustar estes efeitos com algumas providências e, assim, garantir maior concentração, diminuição do estresse e elevar a produtividade e qualidade de vida. Aqui vão algumas dicas:

  1. Defina um local no qual você se sinta confortável e tranquilo.
  2. Avise às pessoas sobre a sua necessidade de concentração. Isso difere para cada pessoa.
  3. Divida o trabalho em períodos de cinquenta minutos e depois faça um intervalo de cinco minutos para retomar ao trabalho.
  4. Estabeleça metas mensais, semanais e diárias isso organiza o cérebro para produzir melhor.
  5. Boa alimentação e bom sono são fundamentais para este processo ser sustentável.

Agora vá em frente e depois me conte como foi sua melhora.

Boa concentração!