Existe vida profissional após os 60 anos?

A cada ano, fica mais evidente que o Brasil não é mais um país de jovens. São vários os motivos que explicam o envelhecimento da nossa população. As mulheres estão engravidando cada vez mais tarde; a taxa de fecundidade tem reduzido bastante; e a expectativa de vida do brasileiro experimentou uma melhora significativa na última década. E você? Está preparado para lidar com este novo profissional? Ou você é um deles?

A legislação brasileira define como idoso a pessoa com idade igual ou superior a 60 anos de idade (Estatuto do Idoso, Lei 10741/03, Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, é destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos). Por isto, definimos a idade de 60 anos como base para a nossa conversa.

De acordo com uma pesquisa do Datafolha, entre 2007 e 2017, a busca por trabalho entre brasileiros com 60 anos ou mais saltou de 20% para 26%. Isto prova que existe este profissional em busca de colocação ou recolocação no mercado de trabalho. Outro dado interessante é do RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), que aponta um aumento da presença dos profissionais com idade entre 50 e 64 anos no mercado formal de 10,5% para 16,5% do total de contratados.

Em contrapartida, a fatia de trabalhadores jovens, com idade entre 18 e 24 anos, encolheu, passando de 19% para 13,8%. E o mercado está aberto a receber os idosos como mão de obra? Empresas de transportes e do ramo alimentício já fazem programas de contratação focados em pessoas acima de 50 anos, contudo, de modo geral, esses processos seletivos ainda são insipientes. É necessário pensar em uma nova forma de atrair e reter estes profissionais. Dois aspectos são fundamentais para quem está nesta faixa de idade. O primeiro é saber como se sente. Sente-se ativo? E produtivo? Depois, é importante saber onde e como procurar sua oportunidade. Pesquise sobre as empresas contratantes, mantenha seu currículo atualizado. Respeite suas preferências na escolha das empresas, procure aquelas cuja cultura organizacional se conecta com os seus valores, isto ajuda na adaptação da sua nova experiência profissional.

Outo aspecto relevante é entender que você não é alguém que precisa de um favor, mas sim um profissional que irá permanecer em um ciclo de troca produtiva e sustentável, como qual outro indivíduo trabalhando. Fique de olho na sua saúde, mantenha seus exames em dia. Procure permanecer atualizado em sua área e também conhecer as novas tecnologias, rede sociais, como o Linkedln, são ferramentas essenciais que demostram sua desenvoltura. Cadastre também seu currículo em sites de empregos, e esteja pronto para a sua oportunidade.

Não tenha medo de se arriscar! Aplique suas habilidades a seu favor, a experiência de vida é cada vez mais valorizada.