Procrastinação

“Acho que vou deixar para depois… Na verdade, ainda tenho tempo para escrever. Semana que vem eu termino…“. Essas e outras tantas são as desculpas que nosso cérebro produz para não fazer algo que deveria ser feito.

Tim Pychil, Ph.D em Psicologia e professor da Universidade de Carleton, diz que a procrastinação é “um atraso voluntário de uma tarefa planejada e que 20% da população funciona assim”. Nosso cérebro busca sempre economizar energia. Assim, sair da inércia é difícil, pois requer movimentos diferentes que nem sempre produzem satisfação imediata. O mais interessante é que não se procrastina para tudo. Acontece principalmente para as atividades cujos benefícios não são imediatos. Na controvérsia disso, os procrastinadores exigem sempre maior e melhor atenção para suas atividades.

Segundo o Prof. Tim Pychil, a procrastinação é fruto da escolha constante pelo prazer, pela necessidade de se evitar as emoções negativas e por aproveitar os benefícios a curto prazo.

O mecanismo da procrastinação é o mesmo que te leva para academia perto do verão e te faz esquecer do plano de previdência antes de ficar velho. Claudia Feitosa, Pós-Doutora em Neurociência pelo Hospital Einstein, diz que “preparar o futuro ou o amanhã dá mais trabalho do que realizar algo que de imediato com retorno direto”.

Os fatores que podem interferir nesse processo são o tempo, a indecisão e, claro, o lado emocional. A famosa desculpa “não tenho tempo” acaba sendo a melhor e a desculpa mais usada. No entanto, várias outras atividades são realizadas. Nos tempos atuais, um dos maiores causadores dessa falta de tempo é o celular e as redes sociais. Gastam-se várias horas no celular e as atividades importantes vão ficando para depois e depois.

A indecisão acaba adiando também as entregas, por vezes a desculpa é a vontade de melhorar, de fazer perfeito. Dessa forma, nem o feito sai e acaba-se deixando de fazer. É muito importante pedir ajuda para apoiar sua decisão de entregar no tempo certo.

O que concluir sobre as emoções? Elas nos impulsionam ou nos paralisam. O equilíbrio se faz necessário. Buscar o prazer em suas realizações é tudo que se quer, mas é preciso saber que a conquista requer suor e muita dedicação.