Série de Emoções – Raiva

O que é a raiva? Um sentimento que na maioria das vezes é desprezível e mal visto pela sociedade. No entanto, é bom lembrar que é um sentimento primário e que todos os seres humanos possuem.

Segundo a enciclopédia colaborativa Wikipédia, a raiva é conhecida como um dos sete pecados e trata de um instinto que, consoante os casos particulares, pode aproximar o ser humano ao estado quase animal no qual o uso da razão é bloqueado por sentimentos irracionais. É importante perceber a raiva como um sentimento positivo, que pode impulsionar o indivíduo para a defesa, para a luta, quando algum mal lhe é afligido. Nesse sentido, é a partir da raiva, também conhecida como agressividade, que o ser humano se movimenta e reage. A falta desse instinto causa indiferença, apatia e depressão, a doença do século.

Como tudo na vida, existem dois lados: o positivo e o negativo. A dificuldade está realmente em poder e saber dosar. Quanto de raiva você necessita no seu dia a dia? Qual seria a dose certa? Para estas perguntas não existe apenas uma resposta correta. Cada pessoa tem sua reação e manifesta a raiva de formas diferentes.

O tempo de duração da raiva também faz diferença em sua manifestação. Se você está há muito tempo com raiva de uma situação ou de uma pessoa, a probabilidade de você ter dificuldade de usá-la de forma benéfica reduz muito. Quanto maior o acúmulo, possivelmente maior será o descontrole.

O sentimento de raiva é percebido por você e por quase todos que estão à sua volta, é muito difícil você conseguir disfarçar de modo que ninguém perceba.

Primeiro, procure aceitar a raiva e depois busque canaliza-la de maneira adequada para que o instinto te impulsione a reagir de forma saudável. Ajuste essa energia para a promoção de boas escolhas, para mudanças e, principalmente, para que você não precise passar por isso novamente.