A idade de começar

Qual o dia ou a hora de começar? Ou, mais especificamente, qual a idade certa para começar a trabalhar? Antigamente, o trabalho começava muito mais cedo, todos em casa tinham sua responsabilidade e davam a sua conrtribuição. A cada ano que passa, essa idade está sendo estendida, principalmente no Brasil….

Qual o dia ou a hora de começar? Ou, mais especificamente, qual a idade certa para começar a trabalhar? Antigamente, o trabalho começava muito mais cedo, todos em casa tinham sua responsabilidade e davam a sua conrtribuição. A cada ano que passa, essa idade está sendo estendida, principalmente no Brasil. Nos Estados Unidos, existe a tradição de o filho sair de casa para fazer a faculdade, na contramão do Brasil. No nosso país, temos visto várias famílias reclamarem que os filhos não querem mais sair de casa, permanecem com a família durante a faculdade, depois fazem MBA e vão ficando.

Se pensarmos em trabalho como algo pesado e cansativo, tendemos a evitar que nossos filhos iniciem esse desgaste tão cedo. Aqui se instala o maior problema da nossa época. Oitenta porcento das pessoas deixam a vida  escolher por elas e vão reclamando ano a ano do sacrifício que é trabalhar.

A boa notícia é que, quanto antes você colocar seu filho para experimentar a execução de atividades, mais fácil será a escolha dele quando tiver que fazê-la. Crianças superprotegidas são muito frágeis, pois possuem poucas experiências.  Assim, o arcabolso de escolhas fica limitado. Mais que conhecer o mundo todo viajando, é necessário ter experiências com algo produtivo, prazeroso e que é feito com orgulho. Essa é uma atividade laboral que precisa ser experimentada.  Pergunte a um músico se ele se deu conta de que ficou dois dias definindo uma melodia? Pergunte a um escritor quanto tempo se dedicou a um livro; a um médico, depois de 10 horas de cirurgia, tendo salvado uma vida, se ele teve ideia do tempo gasto nessa experiência; a um atleta com uma medalha, depois de um ano de treino intensive, se ele tem a dimensão da entrega feita. Muitos certamente responderão: “Nem me lembrei disso”! Sabe por quê? O propósito era maior do que a atividade. Por isso o tempo corre sem se perceber.

Possibilite que seu filho experimente de tudo: comidas, temperos, atividades.  Não deixe suas preferências e/ou decepções os influenciarem negativamente.  Permita que cada um tenha as suas experiências. Comece por atividades simples, como pagar uma conta, controlar sua mesada. Programar e fazer uma viagem toda organizada por ele, isso pode ser um grande diferencial no mercado de trabalho. Estar apto a resolver e a enfrentar pequenos obstáculos do dia a dia será um diferencial.

Logo no primeiro ano de faculdade, inicia-se uma nova fase e a mais importante. Nessa etapa, será muito importante experimentar todas as atividades que aquela teoria poderia lhe proporcionar. Agora, fique atento, ajude a diferenciar nesse momento o que é mais importante. Inicialmente, é só conhecer e não ganhar dinheiro. Saber isso faz toda diferença. É preciso aprender a trabalhar no que gosta, só assim depois você ganhará mais.

Aqueles que trabalham por prazer e prorizam seu propósito no seu dia a dia alcançam destaque em relação aos demais! Não se preocupe com a idade, em cada  fase, temos muitas oportunidades  e todas são diferentes. Aprenda com elas, e escolha sua melhor experiência para sustentá-lo!