Contratações

Contratar pessoas neste momento de crise, quando temos muitas ofertas, pode parecer mais fácil, mas há  de se ter cuidados. É realmente factível que, quando se tem muitos candidatos, pode-se fazer uma escolha mais tranquila e ponderada,  pois escolher diante de um número maior de opções sempre é mais favorável….

Contratar pessoas neste momento de crise, quando temos muitas ofertas, pode parecer mais fácil, mas há  de se ter cuidados. É realmente factível que, quando se tem muitos candidatos, pode-se fazer uma escolha mais tranquila e ponderada,  pois escolher diante de um número maior de opções sempre é mais favorável.

O alerta é que, mesmo assim, é muito importante se concentrar nas qualidades e habilidades pretendidas para sua contratação. Muitos candidatos mentém ou omitem informações importantes no momento da entrevista de emprego. O risco é que o custo de contratações equivocadas é sempre muito alto, além das possíveis frustrações. Seguem três recomendações imprescindíveis que vivenciei nestes anos de processos seletivos:

1- Conhecimentos  básicos desejáveis

       Escrever no currículo que se formou em um curso ou  domina o Excel ou sabe algum idioma é muito fácil, pois, no papel ou na internet, cabe qualquer coisa. Atenção, pois todas essas informações precisam ser avaliadas e, se for possível, com provas práticas.  Um grande exemplo desse item é o número de profissionais formados em psicologia que nunca fizeram um laudo psicológico, ou aplicaram algum teste desse tipo. Na formação em Administração, também há pessoas que não reconhecem um simples fluxo de caixa, que tenham feito uma planilha de Excel com macros. Por vezes, um conceito requerido em sua oportunidade de trabalho não foi apreendido pelo profissional. Não confie na generalidade do curso.

No que se refere ao conhecimento do idioma, o problema é ainda maior. É muito indicado que a entrevista contenha partes realizadas no idioma solicitado.

2- Experiências anteriores

Nesta etapa, já estamos tratando da necessidade de se comprovar a habilidade requerida, o que realmente o candidato executou. Faça perguntas abertas e específicas, buscando detalhes nas execuções anteriores, não se pode aceitar resposta como: “Lá, na empresa X, nós vendíamos muito..tínhamos metas..”. É necessário saber, quanto ele vende? Qual a sua participação? O que significa “muito”? E as  metas? Quais as metas? Quantas vezes o candidato bateu as metas?

3- Atitudes, comportamentos

Esse item é o mais difícil de ser avaliado, pois cientificamente se sabe que um comportamento anterior pode não ser mantido no presente. O maior preditor do comportamento é a personalidade e, para isso, têm-se maneiras técnicas científicas aprovadas para essa aferição. Contudo, se a empresa não possui esse conhecimento e não quer contratar um profissional capacitado para fazer, a entrevista por competência é a melhor opção. Da mesma forma que para as anteriores, a melhor maneira de se comprovar uma habilidade ou capacidade é  por meio de perguntas poderosas que, de maneira específica, possam lhe revelar exemplos de comportamentos anteriores desejáveis  para a oportunidade aberta.

Tenha muita atenção no seu processo seletivo, gaste o tempo necessário, pois quanto mais assertivo,  maior o retorno profissional e financeiro para sua empresa. Um profissional bem selecionado é aquele que usa seus pontos fortes em 60% do seu tempo produtivo. Assim, ele gera satisfação e crescimento dentro do ambiente de trabalho! Siga os passos e evite uma contratação indesejada!


 

Reflexões