O poder de liderar a si mesmo para a gestão da carreira profissional

A gestão individual, para que a pessoa se torne protagonista da própria carreira, é o que chamamos de “self liderança”. Liderar a si mesmo é cuidar de si, saber fazer as próprias escolhas – habilidade fundamental para todos os profissionais. Para isso, o primeiro passo é ampliar o autoconhecimento e a percepção de si, ajustando as próprias características….

A gestão individual, para que a pessoa se torne protagonista da própria carreira, é o que chamamos de “self liderança”. Liderar a si mesmo é cuidar de si, saber fazer as próprias escolhas – habilidade fundamental para todos os profissionais. Para isso, o primeiro passo é ampliar o autoconhecimento e a percepção de si, ajustando as próprias características.

As gerações anteriores, além de esperarem pelas oportunidades que as empresas ofereciam, tinham poucas opções de carreira. Atualmente existem diversas profissões e esperar não é mais possível, pois barco que não sabe aonde vai, fica à deriva. Quanto antes a pessoa assumir a trajetória e a responsabilidade pela própria evolução, maior sucesso terá.

Para esse processo é importante seguir alguns passos básicos, começando pelo autoconhecimento: descobrir seus pontos fortes e colocá-los a seu favor, protegendo seus pontos fracos. Quem não se conhece utiliza pouco do próprio potencial. Neste mundo ágil e volátil, não há tempo para aguardar ser reconhecido pelos outros.

Na gestão individual, a conexão também é fundamental para o crescimento. Isso é conhecido também como relacionamento interpessoal – é preciso colocar suas características a serviço do outro. Ninguém vive sozinho. É preciso interagir, aprender e ensinar. Quanto mais você entrega, divide e disponibiliza, mais você recebe, assimila e se conecta.

Por um tempo, as pessoas aprendiam algo e usavam aquele conhecimento por anos da mesma forma, com poucas mudanças. Frases como “sempre fiz assim” e “foi assim que eu cresci” precisam ser descontinuadas! É importante estar aberto não só a aprender, mas a desaprender para aprender novamente – o que é diferente de ajustar ou se atualizar. Desaprender é deixar a página em branco para escrever outra história. Limpe sua mente e crie espaço para novas ideias e métodos.

O tempo em que as pessoas falavam “isso não é da minha área” ou “eu não gosto desse assunto” ou mesmo “não me envolvo com isso”, entre outros, também passou. O profissional atual é cada dia mais especialista em sua área, estuda, atualiza e troca experiências, mas precisa sim saber de tudo um pouco. Ser generalista é se envolver com os processos transversais a sua especialidade, como política, cultura, diversidade, inclusão, sustentabilidade, tecnologia e tantos outros.

É importante que o profissional faça uma autoavaliação passando por esses pontos e, em seguida, crie seu processo de evolução. Recomendo algumas perguntas básicas para garantir a continuidade do desenvolvimento: quantas pessoas conheci no último mês? Qual aprendizado adquiri? O que ensinei nesse período? Qual é o plano do próximo mês?

Com esse olhar atento e mantendo o movimento constante, você com certeza será um bom líder de sua carreira e, então, estará pronto para começar a liderar outras pessoas, pois o processo de liderança pelo exemplo é o mais sustentável. Cuide-se primeiro para poder cuidar dos outros depois!

 

Artigo escrito por Vânia Goulart e publicado no jornal A Gazeta, em 30 de outubro de 2021.