O Quanto Você Se Conhece?

À medida que vamos crescendo e conhecendo nosso potencial, passamos acessá-lo e, só assim, podemos desenvolvê-lo.

Nascemos com traços de personalidade e construímos um coeficiente de inteligência, mas o que realmente faz diferença em nossa jornada é o coeficiente emocional. Esse podemos construir e reconstruir a cada fase da vida e, por meio dele, transformar todo o restante.

A inteligência emocional revigora ou bloqueia todo seu potencial, além de ser capaz de expor traços de personalidade de maneira a não favorecer seu desenvolvimento.

Uma teoria que sustenta muito toda essa caminhada, contribuindo com nossa evolução é a Janela de Johari. Refere-se à coerência entre discurso e os atos. O modelo de Joseph Luft e Harry Ingham (1969) tem como objetivo trabalhar e facilitar os relacionamentos interpessoais oferecendo uma ideia mais clara sobre nossos comportamentos que dificultam ou facilitam as conexões.

Esse modelo apresenta-se em quatro quadrantes:

  • Eu Aberto – onde a maturidade e o autoconhecimento permite lidar bem com a auto exposição e gera abertura para receber feedbacks.
  • Eu Cego – você se mostra falante, mas com pouca capacidade de receber feedback. Desta forma não evolui muito tendo sua auto imagem distorcida da realidade.
  • Eu Secreto – exatamente ao contrário, mais fechado, possui características e potencial que conhece, mas não explora e assim não desenvolve.
  • Janela Desconhecida – aqui está o total desconhecido, algo inconsciente ou até inexplorado. Um bom exemplo é aquele analista que nunca teve oportunidade de liderar pessoas e por isso as características de gestão estão desconhecidas. Muitas promoções de cargo dão errado exatamente por esta incerteza.

Estar aberto, buscar e receber feedback para atualizar e ajustar a percepção de suas potencialidades é a maneira mais rápida de evolução.

Abra sua janela e amplie suas competências.