Vamos começar pelo título: dar adeus a este ano todos querem, um ano de fato difícil. Muitos fatos lamentáveis, dados de uma estatística muito pesada. Índices alarmantes de desempregos, chegando a 32%, demissões em massa até nas áreas em que o emprego parecia seguro. O plano de demissão incentivada do Banco do Brasil veio neste fim de ano para encerrar o pacote de surpresas desagradáveis. Tenho recebido muitas solicitações de ajuda, pessoas em busca de entender e tentar buscar outra saída para sua vida. Subiram muito os índices de depressão. É preciso, enfim, realmente fazer algo.

Durante muito tempo, a tecnologia, o maquinário ou até o acesso à informação eram um diferencial nas empresas. Hoje, todas as empresas têm acesso muito fácil a qualquer informação e/ou tecnologia que almejar. A globalização possibilitou a troca de experiências e as redes com a internet, o acesso mais rápido a tudo.

O que é verdade? Para se ter certeza de que algo é verdade, o que é preciso saber? Há um provérbio chinês que diz assim: “Existem sempre três verdades, a minha, a sua e a verdadeira”. Será então que verdade tem a ver com percepção interna? Ou será que são os valores de cada um que determinam uma verdade.