Aposentadoria, agora ou nunca?

Esse tema é muito importante e muitos ainda não se atentaram para a importância de se pensar sobre. Vejo muitas pessoas falarem sobre o assunto, mas vejo poucas se programarem para esse momento. Será que existe um momento certo para essa reflexão?

No entanto, esse não é mais um assunto tratado da mesma forma que há vinte anos. A evolução do mundo tecnológico acelerou as mudanças e influenciou muito  a forma de se abordar o tema. A palavra designa a ação de se afastar do trabalho após se completarem os anos necessários (estipulados pela lei); afastamento do trabalho, ação de parar e viver do que se construiu. Algo sonhado e almejado para a geração “baby bomeres”, geração que trabalhava duro, para acumular bens e para, quando se  aposentasse, poder usufruir dessas conquistas.

Bom, nos dias de hoje, neste mundo  de hoje considerado pelos estudiosos como: vuca (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo) e, com o crescimento tecnológico exponencial, essa aposentadoria não atende mais.

As gerações que se seguiram no milênio – z, y e principalmente x – já questionam esses valores e buscam o prazer e o retorno do ganho no trabalho  de imediato. A palavra de ordem é qualidade de vida, é a possibilidade de trabalhar, mas, ao mesmo tempo, poder usufruir das conquistas da vida e, quanto mais rápido, melhor. Não existe um tempo diferenciado para o trabalho e o prazer de curtir a vida. Os bens materiais e as grandes viagens já precisam fazer parte das recompensas imediatas.

Trabalhar era algo como obrigatório, exigido e que começava muito cedo. Isso tudo já passou.

Querer trabalhar para poder conseguir um sustento suficiente para sair de casa, casar e ter filhos não é mais o objetivo. Nessas novas gerações, isso foi estendido, passou a fazer parte de um projeto a longo prazo, conquistado e comemorado a cada dia.

Os jovens hoje, em sua maioria, demoram mais a sair de casa, a casar e principalmente a ter filhos, até conseguir um emprego. Escolhem e mudam muito e, para escolherem, precisam de muitas confirmações. Possuem muitas informações e, cada dia mais, a indecisão e o encontro da profissão certa ou do trabalho ideal ficam mais distantes. A geração “nem nem”, nem trabalha nem estuda, é sustentada pelos pais numa busca destes compensarem o pouco tempo dedicado aos filhos no passado em razão do trabalho intenso para lhes proporcionarem o melhor. Esse é o ciclo criado e reproduzido, mas que está sendo colocado  à prova, por não ser sustentável.

Assim, pode-se constatar uma menor taxa de natalidade, que afeta  essa cadeia totalmente. Passamos a ser um país de idosos e não mais de jovens. Isso muda tudo na conexão entre vida e carreira.

E então? Qual a idade certa para se aposentar? Ou quando vou precisar começar a preparar minha aposentadoria? Existe uma regra?

Leia na próxima sexta!