Parece um trocadilho, mas não é. Com a experiência de vir morar  em um novo país, em uma nova cidade, a ideia do título acima é o que mais consigo enxergar. Perceber semelhanças entre os países, cidades, não para comparar ou explicar, simplesmente relatar e partilhar com vocês essa  vivência diária e rica experiência.

Quantas oportunidades se abrem quando você se coloca em um novo lugar?  As perspectivas se ampliam, sua visão se modifica, seus valores são questionados a todo o momento. Viver uma nova cultura é se despir de suas certezas e arriscar sua segurança. Tudo isso provoca um turbilhão de questões, mas, para isso, há de se ter coragem, há  de se arriscar.

Quantas oportunidades se abrem quando você se coloca em um novo lugar?  As perspectivas se ampliam, sua visão se modifica, seus valores são questionados a todo momento. Viver uma nova cultura é se despir de suas certezas e arriscar sua segurança. Tudo isso provoca um turbilhão de questões, mas, para isso, há de se ter coragem, há  de se arriscar.

Deixar a vida me levar só serve para a música de Zeca Pagodinho. No entanto, muitas vezes, o lema é usado por várias pessoas simplesmente por seguirem a vida sem se questionarem. Seguir em frente é sempre o caminho mais lógico. Deixar o curso da vida seguir parece mais simples, mas é necessário questionar se realmente é a opção mais feliz e acertada.             

Contratar pessoas neste momento de crise, quando temos muitas ofertas, pode parecer mais fácil, mas há  de se ter cuidados. É realmente factível que, quando se tem muitos candidatos, pode-se fazer uma escolha mais tranquila e ponderada,  pois escolher diante de um número maior de opções sempre é mais favorável.

Pensar em um tema toda semana foi um desafio a que me propus há dois anos. Acordei numa das muitas reflexões que tenho feito e decidi viver, ou melhor, responder às muitas perguntas que faço aos meus pacientes,  clientes, Coachee ou como queiram se identificar. A primeira delas foi o que vou deixar de legado? Qual a conquista que ainda quero obter? A congruência entre o que se fala e o que se faz é a primeira forma de viver a plenitude. Então respondi a minhas perguntas poderosas e fiz minha lista.

Pensar em um tema toda semana foi um desafio a que me propus há dois anos. Acordei numa das muitas reflexões que tenho feito e decidi viver, ou melhor, responder às muitas perguntas que faço aos meus pacientes,  clientes, Coachee ou como queiram se identificar. A primeira delas foi o que vou deixar de legado? Qual a conquista que ainda quero obter? A congruência entre o que se fala e o que se faz é a primeira forma de viver a plenitude. Então respondi a minhas perguntas poderosas e fiz minha lista.

Resposta para Eliana Guerra A vida possui muitos prismas e muitas maneiras de ser explicada  e/ou vivida, como preferir. Há pessoas que passam por ela sem muito perceber, simplesmente a deixam seguir. Há aqueles que reclamam dela o tempo todo. Há também aqueles que cultivam a vida de uma forma mais proveitosa, transcendendo o que sabem e acreditando em algo maior. Todos, sem exceção, passam por ela e a única igualdade nisso é que chegarão à morte, o final. No entanto, até a morte chegar, apesar de todos terem certeza da sua existência, ainda  há a dúvida: e depois?